Saúde e Bem-Estar

Como identificar uma verruga e retirá-la do jeito certo

Amanda Milléo
03/07/2019 15:00
Thumbnail

Formadas pela proliferação de pele e fibras, estão muitas vezes relacionadas ao ganho rápido de peso, avanço da idade e tendência familiar. Foto: Bigstock.

A verruga que apareceu do dia para a noite na axila ou no pescoço pode não ser propriamente uma verruga. Se surgir nas extremidades, como palma da mão e do pé, as chances são maiores.
Para identificar se é o vírus Papilo­­mavirus Humano (HPV) agindo na pele e originando-a ou se é apenas uma lesão derivada de ganho de peso rápido ou histórico familiar, é preciso ficar atento a alguns detalhes, que influenciarão no tratamento correto. Confira as diferenças e melhores respostas para cada problema, com informações da dermatologista Jane Tomimori e do infectologista Jaime Rocha:
Quando não são verrugas
Algumas lesões que aparecem nas axilas, pescoço e virilhas podem se parecer com verrugas, mas não são. São os acrocordons ou neurofibromas, benignos e não virais, que podem ser retirados por questões estéticas.
Formados pela proliferação de pele e fibras, estão muitas vezes relacionados ao ganho rápido de peso, avanço da idade e tendência familiar. Ao contrário das verrugas, não devem ser retirados em casa, mas através de cirurgia ou crioterapia, com médicos dermatologistas. Também diferentemente das verrugas, os neurofibromas não são formados por células mortas e, caso a pessoa tente utilizar um tratamento caseiro, sentirá dor e poderá corroer a pele, além de não funcionar.
Como as verrugas surgem
Predisposição familiar é um dos motivos mais comuns. Se algum membro da família apresenta ou já apresentou a verruga viral, existe uma chance de outro membro também vir a ter. Indivíduos imunossuprimidos, como pessoas que receberam transplante ou altas doses de corticoides, estão mais predispostas.
Aspecto de couve-flor
A lesão que se parece com uma couve-flor, com superfície espessada, aspecto verrugoso, irregular e áspera é uma verruga. Normalmente, ao olhar com uma lente de aumento é possível ver alguns pontos pretos no seu interior.
O vírus é a “raiz”
No comparativo, a verruga é como uma semente germinando. Toda a parte de cima, visível, são células mortas, e o vírus é a semente. O tratamento com ácido ou crioterapia (dispositivo que usa o frio para queimar) destrói as células mortas até a raiz, ou a semente, que é o vírus HPV. São comumente encontradas nas extremidades, palmas das mãos e pés.
Tirando-as em casa
Embora aparentemente a verruga dê a impressão de ser possível arrancá-la, não faça isso. Você não conseguirá tirar o vírus e ele continuará “germinando”. Também não a corte, pois o aparelho pode estar contaminado e gerar uma infecção.
Quando devidamente identificada como verruga, há tratamentos caseiros que usam substâncias cáusticas ou crioterapia, comprados nas farmácias sem prescrição. Por ser composta de células mortas na maior parte, você não deverá sentir dor, mas tome cuidado na hora de aplicar o produto e evite sair da linha delimitada da verruga. No caso de dúvidas sobre a real “identidade” da lesão, consulte um dermatologista.
LEIA TAMBÉM

Enquete

É tempo de festa junina! Nessa época, onde a diversão é garantida?

Newsletter

Receba um resumo dos nossos conteúdos no seu e-mail!