Instituto Jaime Lerner

Mulheres na revolução urbana de Curitiba

20/10/2023 15:08
Thumbnail
O planejamento de uma cidade se faz com muitos temas e muitas mãos: com um olhar atento à geografia natural, com uma proposta de desenho de crescimento junto a uma infraestrutura física, com uma visão social solidária, com projetos e determinação para o desenvolvimento econômico e com um forte compromisso com a arte, a cultura, entre outros. Esses temas compõem pilares fundamentais para a construção de um futuro que busque o bem-estar das pessoas e a qualidade de vida nas cidades.
Todos conhecem a importância dos grandes arquitetos Rafael Dely, Carlos Ceneviva e do engenheiro sanitarista Nicolau Klüppel, que juntos formavam a “Santíssima Trindade”, segundo citava o Prof. Aroldo Murá. Foram os nomes responsáveis pela solução e pelo desenho das Estruturais, Sistema de Transporte e Desenho Ambiental (macrodrenagem urbana e parques públicos). Também conhecem os arquitetos Abrão Assad, autor da Rua XV, Teatro Paiol e Jardim Botânico; e Domingos Bongestabs, da Unilivre e Ópera de Arame. Juntos com o Jaime, fizeram a Curitiba que conhecemos.
Recentemente, fui fazer uma palestra a pedido do Centro Acadêmico na UTFPR. De um lado, uma plateia formada por jovens estudantes de arquitetura. De outro, o meu compromisso em apresentar o legado do arquiteto e prefeito Jaime Lerner, em um esforço para condensar toda sua obra em uma hora de fala: mais de 60 anos de profissão, 12 anos mais 8 anos à frente da prefeitura e do governo de estado, respectivamente. Em meio ao exposto, estavam algumas obras em que tive a oportunidade e o privilégio de trabalhar. Ao fim do evento, ouvi o seguinte agradecimento de um participante:
“... A galera adorou saber que tem uma mulher na construção de Curitiba.” 
Não, foram muitas! Desde lá, tenho pensado em escrever sobre as mulheres que puseram seus conhecimentos a serviço desse grande projeto de cidade. Neste breve texto, trago à luz alguns nomes de mulheres brilhantes que lá estavam, nas gestões do Jaime, na construção de Curitiba.
No IPPUC, não se pode esquecer das Dras. Fanchette Rischbieter e Dulcea Auriquio, as duas engenheiras que foram responsáveis pelo zoneamento de uso e ocupação do solo e, com muita determinação, mantiveram as boas práticas urbanas. A arquiteta Milna Leone, que trouxe um novo olhar sobre o patrimônio edificado de Curitiba e implantou um sistema para o levantamento e guarda dos imóveis de interesse do patrimônio, as UIPs (Unidades de Interesse de Preservação), como parte fundamental da memória urbana da cidade. Esse lugar foi ocupado posteriormente pela arquiteta Doris Teixeira, coautora de muitos projetos no setor histórico, entre eles a Cinemateca, o teatro Novelas Curitibanas e, mais recentemente, o premiado Cine Passeio. Cito ainda as arquitetas Liana Vallicelli, Iuri Fukuda Hayakawa e Rosane Amélia; Zélia Passos na área socioeconômica, expondo aqui apenas algumas das diversas arquitetas, engenheiras, designers, sociólogas, economistas, desenhistas, pesquisadoras, professoras e demais mulheres que compunham a equipe do Instituto.
A área Cultural sempre esteve sob a responsabilidade de grandes mulheres: a jornalista Maí Nascimento, que cuidou da guarda da memória e valorização do grande mosaico formado pelas etnias que compõem as gentes de Curitiba na Casa da Memória. Potentes conjuntos culturais orquestrados pela grande Lúcia Camargo, na Fundação Cultural e Secretaria Estadual de Cultura, resultaram de ações e obras de fomento e incentivo à cultura, como a formação da Camerata de Curitiba e do Conservatório de MPB, a compra e requalificação de cinemas, a abertura de museus e criação de teatros, posteriormente substituída pela genial Mônica Rischbieter, responsável pela revolução cultural na 2ª gestão do Jaime governador.
A Educação, por sua vez, também esteve sob o comando feminino. Suely Seixas e Solange Manzochi à frente da Secretaria Municipal de Educação, e Fani Lerner, na Secretaria da Criança, responsável pela abertura de inúmeras creches na cidade e no estado, além de pioneira na pré-alfabetização obrigatória nas creches municipais. Cabe, ainda, a inserção do nome da Lidia Dely, mulher responsável pela Universidade do Professor, lugar voltado para a sensibilização e renovação de conhecimento para professores da rede estadual de ensino.
O Desenvolvimento Econômico foi impulsionado pela advogada Maria Elisa Paciornik, na captação de inúmeras empresas no período em que esteve à frente da Cidade Industrial de Curitiba – CIC, bem como pela manutenção, organização e controle financeiro quando Secretária Municipal de Administração.
No setor privado, contemporâneas e igualmente importantes na construção da qualidade de vida em Curitiba, foram protagonistas em diferentes áreas de atuação as guerreiras Zilda Arns e Ety Forte, ambas na luta pela saúde e bem-estar da criança; Maria Helena Paranhos e Giceli Portela, responsáveis, respectivamente, pela revitalização do Mercado Municipal e restauro da Igreja da Matriz, marcos urbanos importantes da cidade. Cito, ainda, sem poder esquecer, o grande trabalho da Julieta Reis no fomento às atividades do pequeno artesão.
Finalizo dizendo que estas poucas linhas não encerram a grande lista de mulheres notáveis e profissionais excepcionais. Deixo como registro o agradecimento a todas as mulheres que colaboraram e ainda colaboram na construção diária dessa cidade que escolhi para viver.

Enquete

Como você escolhe a alimentação do seu pet?

Newsletter

Receba um resumo dos nossos conteúdos no seu e-mail!