Mascote Fit

Cuidados

Banho no pet em casa? Confira dicas de especialistas para não errar

Patrícia Sankari
28/05/2024 15:00
Thumbnail

São diversos os cuidados na hora do banho para que o momento seja agradável ao seu pet. | Freepik

Dar banho no pet em casa pode ser uma atividade agradável e benéfica. Além de ser importante para a higiene e a saúde do animal, ela pode proporcionar uma interação positiva e de confiança entre tutor e pet, e ainda evitar o estresse que sair de casa causa em alguns bichos. Porém, para que realmente seja positiva, é essencial tomar alguns cuidados e seguir orientações de profissionais.
O primeiro ponto a ser levado em consideração é a frequência. "Ela pode variar muito, tanto com relação à pelagem e aos pelos quanto ao temperamento de cada pet. Mas, no geral, para cães, os banhos podem ser realizados uma vez por semana ou a cada 15 dias. Já para gatos, o recomendado é apenas quando necessário. Como sabemos, os gatos são animais mais limpos, não havendo essa necessidade de banhos com maior frequência", explica Melyssa Shimamoto, médica veterinária do Nouvet.
Outra questão essencial são os produtos a serem utilizados, que devem ser especificamente voltados para pets, caso contrário podem provocar irritações, alergias e até mesmo feridas na pele. "Indico o uso de uma linha hipoalergênica com pré-shampoo e shampoo. No caso de cães de pelo longo, é recomendado o uso de condicionador. É importante lembrar que os pets não têm o pH igual ao dos humanos, por isso é indispensável o uso de uma linha própria para animais", explica Andrea Dias, proprietária do Pet Stop Club.
Com esses dois pontos estabelecidos, as especialistas elencaram o passo a passo do banho. Confira:

1. Escolha bem o horário

É importante que o banho seja no horário mais quente do dia, para evitar que pet não sinta muito frio nesse momento.

2. Prepare o ambiente

Para que o banho em casa seja seguro, é preciso preparar todo o ambiente antes. “Se for realizado no próprio banheiro (box), prefira utilizar tapetes antiderrapantes para evitar que o contato com a água e sabão faça o pet ficar escorregando e cause algum tipo de queda”, explica Melyssa.
No caso dos gatos, eles são ainda mais peculiares. “Como os gatos são mais sensíveis, você nunca deve dar banho em ambientes que tem outros animais”, afirma Andrea. Isso previne que eles fiquem com o odor de outros animais e, consequentemente, se estressem.

3. Atenção com a água

A temperatura da água é um fator muito importante. “Não utilize água muito quente para evitar queimaduras. Além disso, o banho de mangueira no quintal não é muito indicado devido a água ter uma temperatura mais fria, o que fará com que o pet sinta muito frio e esse momento não seja agradável para ele”, afirma Melyssa. Segundo ela, o ideal é manter uma temperatura entre 35°C e 37°C.
Outra dica é utilizar o chuveirinho, pois o fluxo de água é reduzido e direcionado, evitando que o pet se assuste com muita água caindo.
É preciso, também, ter cuidado com o conduto auditivo para evitar a entrada de água, que pode causar inflamações. Por isso, evite jogar água diretamente no ouvido e, na hora da higienização da cara, mantenha a cabeça do pet reta, para ajudar a não entrar água nos condutos.
“Existe um algodão impermeável para uso durante o banho, caso não se sinta seguro. Mas, se houver cuidado durante o banho não há riscos. Além disso, sempre ao final do processo, o ideal é passar o algodão tradicional no ouvido e secar muito bem com o secador. Com esses passos, o ouvido do pet estará seguro”, explica Andrea.

4. Lave, mas com cuidado

Todo o corpo do pet necessita de uma boa higienização, porém algumas partes demandam atenção especial. “Órgãos genitais, axilas, dobrinhas (dependendo da espécie), almofadinhas das patinhas e as orelhas precisam de atenção na hora da limpeza, principalmente evitando ficarem muito úmidas”, reforça Melyssa. A umidade nesses locais pode causar infecções.
Também é importante se atentar às regiões mais sensíveis dos pets, como os olhos, o focinho e as orelhas. Nelas, não há necessidade de jogar água em excesso e esfregar shampoo. Prefira utilizar lenço ou toalha umedecida para a higiene em casa.

5. Seque bem

Essa etapa é de extrema importância para evitar fungos e problemas na pele. Por isso, inicie retirando o excesso de água com a toalha. “Esse pode ser um momento prazeroso para você, tutor, e para o pet, pois é um momento em que o animal costuma se esfregar na toalha e ficar mais eufórico. Desfrute desse momento com ele, fazendo-o associar o momento do banho com algo bom”, explica Melyssa.
Depois, utilize o secador, que permite uma melhor secagem de todo o corpo do animal. A dica é utilizar o secador com a escova, para aproveitar o momento para desembaraçando os pelos. “O ar do secador deve ser morno, pois os animais, assim como os humanos, possuem sensibilidade na pele e pode acabar queimando o animal”, alerta Andrea.

6. Conte com profissionais

O banho em casa realmente pode ser um momento bom entre tutor e pet, mas dependendo da situação e do temperamento pode virar um momento estressante para ambos. “Encontrar um lugar de confiança, que trabalhe com profissionais responsáveis e com estudos com relação a banhos e tosas específicas para as raças, pode proporcionar ao pet um momento agradável na semana, pois ele associará a hora do banho a um passeio, momento de interação e brincadeiras”, afirma Melyssa.
Além disso, existem regiões que necessitam de uma higiene maior, além da tosa higiênica, por isso, nesses casos, é recomendado procurar por profissionais capacitados.

Enquete

É tempo de festa junina! Nessa época, onde a diversão é garantida?

Newsletter

Receba um resumo dos nossos conteúdos no seu e-mail!